Conecte-se conosco

Geral

Criminoso envolvido em pelo menos 30 execuções no Rio Grande do Sul é preso em Santa Catarina

Publicado em

em

"Foram seis meses de trabalho técnico e investigativo", ressalta o secretário da Segurança Pública do RS. Foto: Divulgação/PCRS close Ad A Polícia Civil gaúcha anunciou nessa quinta-feira (22) a prisão, em Santa Catarina, de um homem investigado por envolvimento em pelo menos 30 homicídios nas zonas Sul e Norte de Porto Alegre, além de Canoas, Alvorada e Viamão (Região Metropolitana). Motivados por disputas entre facções, os crimes incluem o atentado a tiros que vitimou uma universitária na Ilha das Flores no mês passado. Durante coletiva de imprensa, o titular da Secretario da Segurança Pública do Rio Grande do Sul (SSP-RS), Sandro Caron, enalteceu os esforços que levaram à captura: “Foram seis meses de trabalho técnico e investigativo. Esta foi a prisão mais importante que tínhamos que fazer para reduzir os homicídios no Rio Grande do Sul”. O chefe de Polícia, delegado Fernando Sodré, relatou que o indivíduo preso é de alta periculosidade e, desde setembro do ano passado, dissidente de um grupo criminoso da Capital. “Isso gerou conflitos entre organizações e diversos assassinatos, aos quais ele está vinculado de forma direta ou indireta”. Por fim, falou o diretor da Divisão de Homicídios da Polícia Civil na Região Metropolitana, delegado Rafael Pereira: “Temos o objetivo de prender não apenas os executores, mas também líderes criminosos, que se beneficiam desses conflitos em busca de território”. Outros presos No dia 6 de fevereiro, uma operação conjunta entre Polícia Civil, Brigada Militar e Polícia Penal levou à prisão de cinco suspeitos de participar de uma dupla execução, duas semanas antes. O ataque, em frente a um minimercado, deixou mortos o dono do estabelecimento e uma acadêmica da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Parte da ação foi registrada por uma câmera de segurança na área. Na imagem, dois homens aparecem fugindo de moto após uma série de disparos (ambos estariam entre os presos do início deste mês). O alvo do ataque era Valdir dos Santos Pereira, 53 anos e que havia se desentendido com integrantes de uma facção criminosa da região. Ele tombou com vários tiros. Já Sarah Silva Domingues, 28 anos, não tinha envolvimento com o caso. Nascida em São Paulo em fase final do curso de Arquitetura e Urbanismo, ela realizava trabalho de conclusão sobre enchentes na área e foi atingida fatalmente fatal no tórax ao conversar com o comerciante. Ao todo, foram 15 disparos. (Marcello Campos) Compartilhe esta notícia: Voltar Todas de Rio Grande do Sul Notícia Anterior Do recorde de títulos à condenação por agressão sexual: relembre a trajetória de Daniel Alves Próxima notícia Neymar doou os 150 mil euros que levaram à redução da pena de prisão de Daniel Alves 0 https://www.osul.com.br/policia-civil-prende-responsavel-por-aproximadamente-30-mortes-no-rio-grande-do-sul/ Criminoso envolvido em pelo menos 30 execuções no Rio Grande do Sul é preso em Santa Catarina 2024-02-22 Deixe seu comentário Últimas Rio Grande do Sul Presidente da Assembleia Legislativa media encontro entre prefeitos da região Centro-Serra e representantes da Brigada Brasil Mortes de Yanomami crescem quase 6% em um ano, mas governo alega subnotificação no passado Política Julgamento que pode cassar mandato do senador Sérgio Moro começa em 1° de abril Mundo Estados Unidos realizam primeiro pouso na Lua em mais de 50 anos Porto Alegre Carnaval de Porto Alegre: escolas de samba desfilam nesta sexta e sábado Política Pressão do Centrão leva ministra da Saúde a exonerar secretário de Atenção Primária Mundo Justiça do Estado americano do Alabama decide que embriões congelados são crianças e levanta questões legais para futuros pais Mundo Cachorro do presidente dos Estados Unidos já mordeu ao menos 24 agentes secretos do governo americano Política “Nada abala minha relação com Lula”, diz o presidente do Senado após criticar fala sobre o Holocausto Mundo Donald Trump pode ter seus bens confiscados caso não pague multa de 355 milhões de dólares

A Polícia Civil gaúcha anunciou nessa quinta-feira (22) a prisão, em Santa Catarina, de um homem investigado por envolvimento em pelo menos 30 homicídios nas zonas Sul e Norte de Porto Alegre, além de Canoas, Alvorada e Viamão (Região Metropolitana). Motivados por disputas entre facções, os crimes incluem o atentado a tiros que vitimou uma universitária na Ilha das Flores no mês passado.

Durante coletiva de imprensa, o titular da Secretario da Segurança Pública do Rio Grande do Sul (SSP-RS), Sandro Caron, enalteceu os esforços que levaram à captura: “Foram seis meses de trabalho técnico e investigativo. Esta foi a prisão mais importante que tínhamos que fazer para reduzir os homicídios no Rio Grande do Sul”.

O chefe de Polícia, delegado Fernando Sodré, relatou que o indivíduo preso é de alta periculosidade e, desde setembro do ano passado, dissidente de um grupo criminoso da Capital. “Isso gerou conflitos entre organizações e diversos assassinatos, aos quais ele está vinculado de forma direta ou indireta”.

Por fim, falou o diretor da Divisão de Homicídios da Polícia Civil na Região Metropolitana, delegado Rafael Pereira: “Temos o objetivo de prender não apenas os executores, mas também líderes criminosos, que se beneficiam desses conflitos em busca de território”.

Outros presos

No dia 6 de fevereiro, uma operação conjunta entre Polícia Civil, Brigada Militar e Polícia Penal levou à prisão de cinco suspeitos de participar de uma dupla execução, duas semanas antes. O ataque, em frente a um minimercado, deixou mortos o dono do estabelecimento e uma acadêmica da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Parte da ação foi registrada por uma câmera de segurança na área. Na imagem, dois homens aparecem fugindo de moto após uma série de disparos (ambos estariam entre os presos do início deste mês). O alvo do ataque era Valdir dos Santos Pereira, 53 anos e que havia se desentendido com integrantes de uma facção criminosa da região. Ele tombou com vários tiros.

Já Sarah Silva Domingues, 28 anos, não tinha envolvimento com o caso. Nascida em São Paulo em fase final do curso de Arquitetura e Urbanismo, ela realizava trabalho de conclusão sobre enchentes na área e foi atingida fatalmente fatal no tórax ao conversar com o comerciante. Ao todo, foram 15 disparos.
FONTE: O SUL

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *