Conecte-se conosco

Saúde

Vacina contra dengue no SUS: quem pode tomar e quando começa a vacinação

Publicado em

em

Vacina será disponibilizada para o público e regiões consideradas prioritárias.

A vacina Qdenga, que protege contra o vírus da dengue, foi incorporada ao Sistema Único de Saúde (SUS). A população terá acesso gratuito ao imunizante, que, no primeiro momento, será disponibilizada para o público e regiões consideradas prioritárias a partir de fevereiro. O Brasil é o primeiro país no mundo a oferecer o imunizante no sistema público universal.

O Brasil registrou 1.601.848 casos de dengue até novembro de 2023, segundo dados do Ministério da Saúde. O número é 15,8% quando comparado ao mesmo período de 2022 (1.382.665). Quanto às mortes por dengue, foram 1.053 em novembro — um aumento de 5,4% ao mesmo período de 2022. Apesar disso, a taxa de letalidade teve redução de 13%, passando de 0,072% em 2022 para 0,065% no ano passado.

Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a vacina Qdenga é recomendada para as pessoas de 4 a 60 anos. São duas doses, com intervalo de três meses, administrada via cutânea. Todas as pessoas vão poder receber a vacina, mesmo aquelas que já tiveram dengue.

Ainda de acordo com a agência reguladora, que aprovou o registro da vacina em março do ano passado, a Qdenga apresentou eficácia de 66,2% nos testes aplicados no público que nunca foi diagnosticado com a doença. Entre aqueles que já foram, o percentual de eficácia foi de 76,1%.

No sistema de saúde privado, a vacina Qdenga pode ser encontrada por preços que variam de R$ 374,94 a R$ 3.749,44, considerando o ICMS de 18% praticado em São Paulo, de acordo com o estabelecido pela Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED).
Vale destacar que a proteção da Qdenga está restrita à dengue. Portanto, ela não atua contra outras doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti, como zika, febre amarela e chikungunya.

Início da vacinação
Dourados, no Mato Grosso do Sul, foi a primeira cidade brasileira a iniciar a vacinação. A escolha do município se deu após uma parceria entre a Secretaria de Saúde local e o laboratório japonês Takeda, responsável pela fabricação da vacina. Por conta disso, o acesso do município ao imunizante foi antecipado.

No restante do Brasil, o Ministério da Saúde prevê que a vacinação comece a partir de fevereiro, com calendário a ser divulgado. Apesar disso, no primeiro momento, a imunização não será em larga escala. Mas sim, para o público e regiões consideradas prioritárias.

Isso porque, de acordo com a pasta, o Takeda afirmou ter uma capacidade restrita de fornecimento da Qdenga. Um cronograma de entrega dos imunizantes já foi definido pelo laboratório. Ao todo, a previsão é de que 5,082 milhões de doses sejam fornecidas em 2024, seguindo o fluxo abaixo.

Fevereiro: 460 mil doses;
Março: 470 mil doses;
Maio: 1,6 milhão;
Agosto: 1,6 milhão;
Setembro: 431 mil;
Novembro: 421 mil.

Sintomas e prevenção

Os principais sintomas da dengue são:

– Febre acima de 38ºC;
– Mal estar;
– Manchas vermelhas no corpo;
– Dor nos olhos;
– Dor no corpo e articulações;
– Dor de cabeça;
– Falta de apetite.

O Ministério da Saúde recomenda que a população siga alguns cuidados para impedir a proliferação do Aedes aegypti, que se reproduz na água parada. São eles:

– Não acumular água em lajes ou calhas;
– Evitar o acúmulo de itens sem serventia;
– Não estocar pneus em áreas descobertas;
– Colocar areia nos vasos de planta e cobrir bem tonéis e caixas d’água;
– Receber a visita dos agentes de saúde.

FONTE: O SUL

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *