Conecte-se conosco

Geral

Porto Alegre registra 1.526 casos de dengue em 2024

Publicado em

em

Porto Alegre tem 1.526 casos confirmados de dengue em 2024. Do total, 1.253 foram contraídos na cidade (autóctones), 216 são importados (infecção fora da cidade) e 57 não têm local de infecção determinado. O total de ocorrências suspeitas notificadas à Equipe de Vigilância de Doenças Transmissíveis da SMS (Secretaria Municipal de Saúde) alcança 15.178 até 6 de abril. Em 2023, no mesmo período, foram 1.973 notificações e 956 casos confirmados. Os dados estão no boletim epidemiológico publicado na segunda-feira (08), pela Diretoria de Vigilância em Saúde da SMS. O levantamento apresenta informações cumulativas até a semana epidemiológica 14 de 2024. A faixa etária dos 21 a 30 anos ainda mantém a maior proporção dos casos confirmados (272 casos, ou 17,8%), e a maioria dos pacientes são do sexo feminino (816 casos ou 53,4%). Os principais sintomas relatados são febre (em 93,9% dos casos), seguidos por mialgia (dor no corpo), cefaleia (dor de cabeça) e náuseas. Um óbito foi confirmado na cidade em decorrência da dengue. Bairros Há casos espalhados pela cidade inteira, mas com maior incidência nos bairros São João, São Geraldo, Higienópolis e Pedra Redonda. A incidência equivale ao número de casos por 100 mil habitantes – por isso, um bairro com população menor, mesmo com baixo número de casos, pode ser considerado de alta incidência. O boletim apresenta mapa de incidência para ilustrar a presença da dengue na cidade. O boletim epidemiológico é uma publicação prevista no Plano de Contingência da Dengue, Zika e Chikungunya da SMS. A partir desta semana epidemiológica 14, a publicação passa a ter periodicidade semanal, pois a SMS acionou o Nível 3 de Resposta do Plano (infestação vetorial alta somada à ocorrência de casos acima do limite superior esperado para o momento e ocorrência de óbito por dengue). Em relação à infestação vetorial, o levantamento registrou índice crítico, com alta ou muito alta infestação em 43 de 46 bairros monitorados com armadilhas.
Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *